segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Código Som - MPB da melhor qualidade em Muriaé!

      Há pouco tempo eu conversava com um amigo sobre a carência de grupos de MPB em Muriaé. Ele justificou dizendo que o povo não gosta, que não há público na cidade. Eu obviamente retruquei: Será que não é por falta de oportunidades de conhecerem novos estilos por aqui? Só se ouve em ambientes públicos de Muriaé: Pagode, Funk, Axé e Sertanejo Universitário.
     As pessoas não ouvem MPB, não conhecem o Grupo Muriaeense CÓDIGO SOM, pois se isso acontecesse, não iriam querer ouvir outra coisa. Os rapazes mandam muito bem, está ai a oportunidade de conhecer o trabalho desse tesouro escondido na cidade. A eles, só resta o sucesso! 




Existem ainda publicados no Youtube vários outros vídeos do grupo. Vale a pena curtir esse som!

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Música - Liberdade - Marcelo Camelo!

A tão desejada liberdade na verdade não existe.


        


      Nesse fim de semana estive participando de um encontro religioso com adolescentes. No decorrer das atividades, fiquei observando nos participantes uma coisa nada convencional: a relação de poder em suas sociabilidades.

    Diante disso, comecei perceber que alguns deles não estavam totalmente livres junto ao grupo, pois estavam submetidos inconscientemente à liderança de outros colegas, a qual também acredito ser inconsciente. Seus atos buscavam de certa forma a aprovação dessas lideranças.
      Pude notar essas coisas com grande facilidade, haja visto, ser um grupo de adolescente, os quais muito transparentes. Mas acredito que o mundo adulto não é tão diferente, de um modo geral, apenas são mais discretas as expressões.
       Nesse contexto, me pus a pensar sobre o que viria a ser liberdade. Podemos possuí-la realmente? 
       Pelo menos uns 80% dos garotos que estavam naquele salão, um dia irão se perguntar se são realmente livres, ou nem isso, apenas vão sentir vontade de ser livres. 
        Assim, trouxe essa reflexão também para mim. Comecei a pesquisar na rede. Primeiro busquei nos filósofos, depois em pessoas comuns:

O que os Filósofos dizem:

      "Para Descartes, age com mais liberdade quem melhor compreende as alternativas em escolha. Quanto mais claramente uma alternativa apareça como a verdadeira, mais facilmente se escolhe essa alternativa. Pessoas que não buscam informações, têm mais dificuldades para identificar as inúmeras alternativas que existem, pois alternativas são frutos da aquisição dessas informações.
        Para Kant, ser livre é ser autônomo, isto é, dar a si mesmo as regras a serem seguidas racionalmente. 
        Para Spinoza, ser livre é fazer o que segue necessariamente da natureza do agente.
       Para Leibniz, o agir humano é livre a despeito do princípio de causalidade que rege os objetos do mundo material.
      Para Schopenhauer, a ação humana não é, absolutamente, livre. Todo o agir humano, bem como todos os fenômenos da natureza, até mesmo suas leis, são níveis de objetivação da coisa em si kantiana que o filósofo identifica como sendo puramente Vontade.
      Para Jean-Paul Sartre, a liberdade é a condição ontológica (faz parte da natureza do ser) do ser humano. O homem é, antes de tudo, livre. O homem é nada antes de definir-se como algo, e é absolutamente livre para definir-se, engajar-se, encerrar-se, esgotar a si mesmo.
     Para Carlos Bernardo González Pecotche, a liberdade é prerrogativa natural do ser humano, já que nasce livre, embora não se dê conta até o momento em que sua consciência o faz experimentar a necessidade de exercê-la como único meio de realizar suas funções primordiais da vida e o objetivo que cada um deve atingir como ser racional e espiritual.
     Para Marx, a liberdade humana só pode ser encontrada de fato pelos indivíduos na produção prática das suas próprias condições materiais de existência.
     Para Bakunin, Liberdade consiste no "desenvolvimento pleno de todas as faculdades e poderes de cada ser humano, pela educação, pelo treinamento científico, e pela prosperidade material.
       Em ética a liberdade costuma ser considerada um pressuposto para a responsabilidade do agente, para o desenvolvimento de seu ambiente, de suas estruturas para conseguir, no final, satisfação para o meio.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Liberdade


Num segundo momento, procurei na rede a opinião de algumas pessoas comuns:
O que as pessoas comuns dizem:

   Liberdade é poder escolher o caminho que você quer seguir, sendo responsável por sua escolha.
    É o direito de escolha. Ter um pensamento próprio e escolher por qual caminho percorrer o certo ou errado.
     Liberdade é respeitar os direitos dos outros.
    É ter conceitos corretos,sem fantasmas de ensinas religiosos que muitas vezes amedrontam os humanos como o inferno de fogo.
   Liberdade é poder sentir a brisa da manha no rosto depois de dormir com uma consciência limpa.
    Poder gozar de tudo,sem cobranças...nada de impede de fazer algo.
    Acredito que liberdade é riqueza, saúde, e muita emoção.
    É ter a coragem e força para dizer não. ex : é você ter oito pedaços de chocolate e só comer um um.
   É estar livre de qualquer sistema: regras, normas, vícios, procedimentos, relacionamentos, pensamentos, deveres e tudo que de alguma forma nos prende.

Fonte: http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20060630153429AA6xYD6

Comentário nosso:

      Como podemos ver, liberdade é algo bastante complexo e relativo. A partir dessa discussão, podemos entendê-la como utópica. Não pode ser alcançada em sua plenitude. Estaremos sempre presos a algum tipo de norma, mesmo que seja na própria busca da liberdade. 
      A partir do momento que nascemos, já somos condicionados a várias coisas, como a língua e a cultura do local em que somos criados. Pessoas nos falam o tempo todo o que é certo e errado, sem uma reflexão nossa.
     Quando percebemos, já estamos encarcerados numa série de valores e elementos coercitivos da sociedade, bem como, sem coragem e disposição para romper com isso.
      Acho interessante quando Sartre fala que devemos construir a liberdade através de nossas escolhas e ações. No contexto sócio-cultural em que vivemos, talvez essa seja a forma mais aproximada da liberdade plena, pois temos liberdade de escolha para algumas coisas (falo algumas coisas porque outras agente não escolhe devido a força da coerção social) que direcionarão a vida.
       Após esse momento de liberdade, em que escolhemos nosso futuro, nossa direção, nossos objetivos, estaremos submetidos às regras que essas escolhas irão nos impor naturalmente.       
      Por exemplo: Você tem liberdade de escolher a profissão que quiser, mas depois que você escolhe-la estará submetido às regras da área e da empresa em que atuará. Outro exemplo: Você pode escolher as pessoas que relaciona, tanto no âmbito da amizade, como do erótico, mas estará submetido ao respeito que deverá ter a essas pessoas. 
      Concordo também com Bakunin e Descartes, quando eles falam da liberdade como desenvolvimento de faculdades e busca de informações. Pois, obviamente, uma pessoa que em uma situação difícil consegue lidar com coragem e possui informações sobre o fato, terá mais alternativas, ou saídas, para alcançar uma situação mais tranquila, mais livre. Enquanto, por outro lado, aquela que não desenvolveu a faculdade da coragem e não buscou informações, literalmente ficará amarrado no problema o resto da vida. 
      Por fim, diante de toda essa discussão, quero partilhar uma máxima filosófica que criei, a qual acredito fechar muito bem nosso debate: A única liberdade que realmente possuímos é de escolhermos em qual prisão ficaremos na vida. 

Cristian Lima

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Fórum Democrático para o Desenvolvimento de Minas Gerais! Veja nosso Comentário.



      O Fórum Democrático para o Desenvolvimento de Minas Gerais reuniu contribuições sobre dez grandes temas, de forma a responder a pergunta: O que deverá estar na agenda da Assembleia de Minas para promover o desenvolvimento do Estado? O Fórum englobou rodadas de discussões no Plenário, entre os dias 15 e 24 de fevereiro, além de consulta pública pela internet , que vai até a próxima segunda, dia 28 de fevereiro. Também foram feitas consultas a deputados e especialistas. Os temas em debate são:
  • Assistência Social
  • Cultura
  • Defesa Social
  • Desenvolvimento Econômico e Inovação
  • Direitos Humanos
  • Educação
  • Esporte e Juventude
  • Governança Regional e Urbana
  • Meio Ambiente
  • Saúde

Click no link e veja em áudio e slides os debates temáticos:


Fonte: ALM




    Fiquei muito satisfeito ao ver ao longo da semana a ocorrência desse evento da Assembleia de Minas. Pela primeira vez (segundo Apolo Heringer) é realizado um fórum democrático onde a casa legislativa recebe direcionamentos diretamente da população para o desenvolvimento de Minas Gerais.
    Muito bem, é algo maravilhoso para o processo político rumo à Democracia  plena do nosso Estado, e agente tem percebido iniciativas como estas no país. Então... o povo está sendo ouvido, mas será que está sendo escutado??? Fica a pergunta.
  Diante disso, gostaria de lembrar aqui as palavras de um político de Muriaé, conhecido nosso, que diante de um movimento de denúncias feito por uma associação de moradores da cidade através de jornais populares falou: "o povo não pode ter esse tipo de informação, ele precisa apenas de entretenimento, mais nada".
    Será que podemos confiar? Será que esses fóruns, seminários e congressos democráticos não são demagogias do governo? Será que as decisões já não estão tomadas nas instâncias econômicas do Estado?
    Por fim, quero alertar para algo que estou desconfiado ter acontecido na transmissão da TV assembleia quando o coordenador do projeto Manuelzão, Apolo Heringer, falava no debate de meio ambiente fazendo algumas denúncias. Não sei se foi só na minha televisão, mas em alguns momentos do discurso dele a TV cortava o áudio, ficando somente com imagens. Pode ser uma censura, como não. Como dizia o poeta: Não sei, só sei que foi assim.
   No site está dando para acessar o discurso na íntegra, entre através do link que fornecemos acima,  ouça e tire suas conclusões.

Cristian Lima


     
    









sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Previdência: Uma bomba a ser desativada nas mãos do governo. Mas têm que ser agora!!!

     Se esperar por muito tempo pode ser tarde. A reforma da previdência é algo fundamental desde ontem. A expectativa de vida já subiu e tende a continuar assim. A questão está em debate.
Observe o caixa da previdência nos últimos anos:

Fonte: TCU

   Agora veja a proposta do governo junto a alguns dados e projeções da evolução demográfica brasileira. 


Fonte: Folha de São Paulo


E ai? O que acha?

POEMA - PAINEL SRE


Logo pela manhã
depois que o sol já se levantou de seu sono,
quando os prédios e os carros já estão
acalorados com sua luz.
Começa a rotina do painel de avisos daquele prédio,
onde tantos vão ver oportunidades, ou
acumular esperança para o dia seguinte.
Talvez amanhã ele anuncie minha “história”,
meu labor, ganha pão, o meu faz-me rir.
Ou de outro.

 Cristian  Lima

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Seminário Municipal de políticas públicas para a Juventude em Muriaé!

Aconteceu dia 24 de fevereiro de 2011...

Foi dado o primeiro passo para a formação do conselho municipal de Juventude...
     

 Esperança!!!


Essa é a única palavra para nossa crítica ao evento. Esperança na intensificação das legítimas representações políticas. Estamos no caminho certo.


Vídeo do Zé Graça - Propaganda Enganosa! Humor e crítica! Ótimo!!!

     Zé Graça é um novo sucesso do YouTube. Ele pega vídeos normais e faz comentários cômicos com uma identidade bem peculiar. Dessa forma fica muito agradável assistir suas produções, haja visto, fazerem agente rir o tempo todo.
    Neste vídeo que apresento, ele faz uma crítica às propagandas enganosas de forma muito engraçada. É incrível. São coisas do dia a dia que agente não percebe. Veja ai!!!!


quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Dilma é criticada como "Chavista" pela oposição! Veja nosso comentário.

   Após pedir que a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) análise a constitucionalidade de o salário mínimo ser fixado por decreto, o presidente do PPS, deputado Roberto Freire (SP), classificou nesta quarta-feira (23) a medida como mais um dos "pequenos chavismos" da presidente Dilma Rousseff.
   Segundo Freire, o aval para que o mínimo seja fixado por decreto, e não mais por lei aprovada pelo Congresso, pode abrir brecha para que outras medidas que são atribuições de deputados e senadores sejam editadas pelo Palácio do Planalto. O deputado citou a regulamentação da mídia como uma dessas preocupações.

   "Não podemos abrir a guarda porque existem setores que pretendem controlar e regular os meios de comunicação. Se abrirmos a guarda ou a possibilidade de que por decreto e não por lei ordinária a presidente fixe o salário mínimo, podemos correr o risco da concessão de outros poderes inconstitucionais e perigosos para a democracia", disse.
    O deputado reiterou que essa postura é preocupante porque relega o Congresso a um segundo plano. "O mínimo precisa ser fixado por lei. Uma coisa fundamental na democracia é o respeito à Constituição e o presidente precisa saber disso. Não pode ficar com essas veleidades de pequenos chavismos, não podemos admitir isso", afirmou Freire em referência ao governo do venezuelano Hugo Chávez.
   O projeto de lei que fixa o salário mínimo em R$ 545 foi aprovado pela Câmara e será votado hoje pelo Senado. A oposição questiona artigo que permite ao governo fixar o valor do mínimo por meio de decreto até 2015, e não mais por lei aprovada pelo Congresso. A oposição promete entrar com uma ação de inconstitucionalidade no STF (Supremo Tribunal Federal) contra essa parte do projeto após a sanção pela presidente.
    O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, decidiu pedir uma avaliação da Comissão de Constitucionalistas da entidade sobre a legalidade da definição do mínimo por decreto. Em tese, Cavalcante disse que o projeto pode ser inconstitucional.
    A expectativa é que essa análise da comissão fique pronta em março. Se houver parecer pela inconstitucionalidade, a OAB deve entrar com uma ação no STF. "Essa é uma questão composta de divergência de interpretação. Isso pode, em tese, representar uma inconstitucionalidade. Isso é uma questão de ocupação de espaço que deve ser respeitado. Nenhum Poder pode renunciar suas competências", disse.
    O governo justifica que incluiu a previsão do decreto no projeto de lei para garantir que seja mantida a continuidade da política de valorização do benefício, com base na correção da inflação e no índice do crescimento da economia de dois anos anteriores.
    Na avaliação de ministros do STF, essa delegação ao Executivo, a princípio, pode ferir o artigo 7° da Constituição, que determina como direito dos trabalhadores "salário mínimo, fixado em lei".
    Para o ministro Marco Aurélio, a ordem natural seria a aprovação pelo Congresso. Ele disse que a Constituição proibiu, desde 1988, a transferência de competências entre os Poderes.

Fonte: Folha de São Paulo



Comentário nosso:

    Tenho acompanhado esse primeiro mês de atividade do congresso nacional em 2011. Confesso que estou um pouco preocupado com essa maioria absoluta de governistas na Cãmara e no Senado, como nunca, depois da redemocratização, havia acontecido. 
     Mesmo tendo votado na continuidade do governo anterior, como veio a ser consumado, vejo um poder político muito exagerado na mão do governo. A votação do salário mínimo tem mostrado isso. Pra se ter uma ideia desse poder, o governo possui uma maioria suficiente no congresso para alterar sozinho a constituição caso queira.
     Diante disso, acredito que estamos correndo um grande perigo democrático. Pois se continuar assim, nosso poder legislativo não estará sendo nem de longe a voz do povo brasileiro, mas apenas das ideias de um grupo. O que poderia facilmente formar uma ditadura disfarçada num modelo político democrático (daí a expressão "chavismo". A qual muito pertinente ao meu ver).
      O meu desejo é que o poder legislativo mostre a sua integridade e autonomia ao longo da legislatura, assim como deve ser numa estrutura de Estado com três poderes. Se diferente, a visão internacional do país não será muito boa e começaremos a regredir econômico, social e politicamente.
      Por fim, na última das hipóteses, eu acredito no bom senso dos parlamentares em enxergarem isso. Vamos continuar acompanhando.

Cristian Lima
      

POEMA - Higiene Mental - (O Dia - reformulado)


PARAR...
Olhar à volta.
Esquecer o fardo
que amanhã baterá
ponto sobre mim.

PERCEBER...
que o grande astro
deseja bom dia, e abraça
cada pedaço da manhã
com seu calor e brilho afetivo.

DISLUMBRAR-se...
com a montanha,
a Santa Maria, que da minha janela
avisto nas pedras seu
inestimável brilho.

DESCOBRIR...
que ao meio dia,
aquela árvore que fica em frent’casa,
possui contraste incrível
com o azul do céu,
aquele,
que a tarde faz fundo
para as nuvens terem formas.

APRENDER...
que no fim da tarde.
Oh, fim da tarde!
Como caixa de surpresa,
Cada dia traz cores novas
para memória desta rotação
Terrestre que se finda.

REPOUSAR...
Após o crepúsculo, boca da noite, abrir o luar,
como arte que cativa minha emoção e
faz memória do amor.

  Cristian Lima


                                                                                                        

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Pra refletir um pouco. Charge feita por aluno do 6° ano do ensino fundamental!

Iniciativa do aluno Marcos do 6° ano B da Escola São Paulo - Muriaé.
Na aula de Geografia transformou a discussão em arte!
Parabéns Marcos!

Olhe... Tente compreender a mensagem do Marcos.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Uma tentativa de ler a juventude atual!

     A juventude sempre foi uma fase de rebeldia às convenções dos adultos. Mas a atual geração produziu um feito único na História: matou a arte de pensar e a capacidade de contestação da juventude. Os jovens raramente contestam o comportamento dos adultos. Por quê?
     Por que eles amam o veneno que produzimos. Eles amam o sucesso rápido, o prazer imediato, os holofotes da mídia, ainda que vivam no anonimato. O excesso de estímulos gerou uma emoção flutuante, sem capacidade contemplativa. Até seus modelos de vida têm de ser um sucesso explosivo. Querem ser personagens como artistas ou esportistas que, do dia para a noite, conquistam fama e aplausos.
   Os jovens vivem a geração do "hambúrguer  emocional". Detestam a paciência. Não sabem contemplar o belo nas pequenas coisas da vida. Não lhes peça que admirem as flores, os entardeceres, as conversas singelas. Para eles tudo é uma chatice. As críticas dos pais e dos professores são insuportáveis, raramente eles as ouvem com atenção.

Palavras de Augusto Cury

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Poesia, melodia, harmonia e Ritmo de forma como há muito não via! Boa música que a grande mídia não mostra. Veja aqui!





Simplesmente incrível!!!! 

Afinal, o que significa aproveitar a vida???

     Noutro dia passando na frente do cartaz de divulgação de uma festa, logo vi escrito: por que a vida é agora. A partir de então comecei pensar o que era a vida? O que é realmente aproveitar a vida? 
    
      Pesquisando na internet, encontrei algumas respostas interessantes: 
é viver intensamente cada momento como se fosse o último; 
é fazer somente o que gosta; 
fazer tudo em excesso; 
é ter filhos; 
é viver com muito amor no coração; 
é ter um Deus para acreditar; 
é ter amigos; 
é viajar; 
é ter momento de lazer; 
é ter coragem; 
é ter a profissão que gosta; 
é estar do lado de quem ama; 
é ir em todas as festas,
é ficar com a maior quantidade de mulheres que conseguir, 
é ter liberdade; 
entre tantas outras coisas.

    Confesso que até antes de pesquisar na rede, estava pensando em dar algumas dicas que acredito serem pertinentes para se bem viver. Mas, minhas palavras se calaram diante de algo tão relativo a cada pessoa. 
    Só peço que ao pensarmos nisso não esqueçamos que temos várias etapas para vivermos (conheço pessoas que viveram tão intensamente a juventude que quando chegaram à vida adulta não tinham profissão, nem nada construído em suas vidas. Será que valeu a pena? Talvez sim, né.). 
    Não deixemos de perdoar, cativar, ter amigos, momentos de lazer, ter fé, equilíbrio, sonhos, objetivos e muito amor a tudo. 
   
   Acima de todas as coisas, acreditamos que viver bem a vida é ter consciência que nós a estamos construindo da forma como nós queremos e escolhemos a cada dia. Ela é feita com pequenas decisões diárias, como: 

Lavar ou não o prato que comi? 
Arrumar ou não a minha cama? 
Desejar bom dia ou não? 
Sorrir ou não? 
Elogiar ou não? 
Perdoar ou não? 
Bem como tantas outras decisões que parecem ser tão insignificantes em nossa vida.
    
    O que você está construindo na sua vida? São coisas boas para você e para os que convivem contigo? 
    
  Lembre-se, felicidade é compreensão!!!

Termino citando Cora Coralina:

"O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher."

Talvez por isso eu me denomine o CAMINHEIRO...

Cristian Lima 

Essa frase tem nos levado a caminhar com os pés bem colados ao chão!

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Vale a pena conhecer o trabalho desses caras. São jogos criados a partir de exercícios teatrais!

Existem vários outros jogos dos barbixas, mas o que trago neste vídeo é da tecla SAP. Este jogo faz com que seus participantes ao ouvirem a campainha mudem o idioma do diálogo que estão participando. Como é tudo um improviso, fica muito engraçado assistir eles se virando no palco.


Uma breve discussão sobre cidadania em Muriaé - MG - Brasil

            Num outro dia, conversando com os colegas da diretoria da associação do Inconfidência, surgiu a idéia da criação de um jornal voltado ao interesse dos moradores. Acredita-se, que esse meio de comunicação seja premissa de unidade e engajamento comunitário, para conseguirmos uma maior participação política nas decisões de nossos representantes no governo municipal.
            Nessa primeira coluna, não poderíamos tratar de outra coisa que não fosse essa participação política, que alguns preferem chamar de cidadania. Em uma sociedade tão individualista como a de hoje, falar nisso se torna anti-quadro, mas não podemos omitir valor tão caro para a qualidade de vida e bem comum.
A palavra cidadania vem do latim, civitas, que significa cidade. Com origem na Grécia clássica, o conceito era usado para distinguir socialmente, através de direitos e deveres, aqueles que eram cidadãos, ou seja, os que viviam na cidade e ali participavam dos negócios e decisões políticas. 
            Para o político e militar brasileiro Juarez Távora, cidadania é “respeitar e participar das decisões da sociedade para melhorar suas vidas e a de outras pessoas.” Para ele, ser cidadão “é nunca se esquecer das outras pessoas,... para o bem estar e desenvolvimento”.
            “A cidadania consiste desde o gesto de não jogar papel na rua, não pichar os muros, respeitar os sinais e placas, respeitar os mais velhos (assim como todas às outras pessoas), não destruir telefones públicos, saber dizer obrigado, desculpe, por favor e bom dia, quando necessário... até saber lidar com o abandono e a exclusão das pessoas necessitadas, o direito das crianças carentes e outros grandes problemas que enfrentamos em nossa realidade.”
            Estive observando em algumas cidades da região, como em Patrocínio do Muriaé, Vieiras, Miraí e Cataguases, que as praças são respeitadas e conservadas pela população; as prefeituras apenas as mantêm com pequenos detalhes. Essa junção, da administração pública com a consciência popular, resulta em praças sempre bonitas e agradáveis, assim como todos os outros bens comunitários.
Averiguando, não só no Inconfidência, mas em toda cidade de Muriaé, percebe-se que os bens públicos não são valorizados pelos populares. As praças por aqui são apenas reformadas, não são preservadas. Se desgastam, até precisar reformar novamente, seguindo sempre num ciclo de reforma-estraga, reforma-estraga.
Na praça em frente à igreja católica do Porto, foi colocada no último Natal a já tradicional árvore luminosa da CDL, ela mal chegou ser ligada, seus pisca-piscas já estavam todos arrebentados, ficando em mostra pública aquela lamentável memória da má educação e falta de cidadania. Isso não fica longe da quadra de futsal do inconfidência, a qual é tão exigida sua reforma, e sofreu com problema similar.
Nesse contexto, finalizo convidando todos (principalmente adolescentes e jovens) a refletir o conceito da cidadania, apropriar esse valor no cotidiano e trazê-lo para nossa vivência pública no bairro. Assim, nos pequenos atos, começaremos a construir uma vida melhor para todos.
             
(Texto publicado em janeiro de 2010 no jornal Comunitário Inconfidência - já extinto)


Cristian G. Lima


Referências:

pt.wikipedia.org/wiki/Cidadania

POEMA - DANÇA DA VIDA


Numa dança rotineira
as emoções bailam no palco do meu ego:

por aqui, o Nervoso sempre se encontra com  dona Paciência;
a Dor com o Prazer,  a Perda com o Encontro.

A Angustia sempre quer fofocar alguma com a Paz:
sobre a Cruz, que gosta do Calvário, que é apaixonado pela Glória.

Neste palco o Medo sempre faz um par romântico com a Coragem,
essa, que dá bons presentes a todos que a admiram e empregam.

Todos dançam ao som da Felicidade, graças ao Equilíbrio, que é
promoter dessa dança da vida,  que nem todos entendem,
seus passos simples de contrários.



                                         Cristian Lima

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Oposição sem força quantitativa faz barulho na imprensa!

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse nesta sexta-feira ao blog que o governo Dilma Rousseff começou de forma “autoritária” sua relação com o Congresso Nacional.

Ele aponta pelo menos duas manifestações desse autoritarismo. A primeira teria sido declaração do ministro de Assuntos Institucionais, Luiz Sérgio, segundo a qual “a ordem’’ do governo era que a base votasse os R$ 545 do salário mínimo.
A segunda demonstração dessa tendência seria, segundo ele, o artigo que estabelece que o valor do benefício será fixado por decreto presidencial até 2014, a partir de política de reajuste já estabelecida.
“É lamentável que um governo comece sua relação tentando solapar uma prerrogativa constitucional do Legislativo, que é a de discutir e definir o valor do salário mínimo, que está explícita no artigo 7º da Constituição’’, afirmou o senador tucano ao blog.
Apesar de saber que o governo não terá dificuldade em ver sua proposta aprovada no Senado, Aécio diz que pretende mobilizar a oposição e chamar a atenção de senadores da própria base dilmista para que reajam ao dispositivo do projeto de lei do salário mínimo.
A ideia é fazer uma mobilização e, se necessário, apresentar uma Adin (Ação Direta de Iconstitucionalidade) ao STF (Supremo Tribunal Federal). “É fundamental que envolvamos o Supremo nessa discussão, que é crucial para a independência do parlamento’’, disse o mineiro.

Escrito por Vera Magalhaes 

Fonte: Folha de São Paulo

Começou o balé do parlamento brasileiro. O povo é o último a ser lembrado.

  “Viva a luta dos trabalhadores”, bradou o líder do Democratas, ACM Neto (BA), ao concluir sua defesa por um salário mínimo de R$ 560. Seu colega no PSDB, Duarte Nogueira (SP), desfilou pelo plenário na quarta-feira (16) com um adesivo: “Salário de R$ 600 é viável”. Derrotados pelos governistas por ampla margem, os oposicionistas também perderam a bandeira da responsabilidade fiscal, dizem analistas ouvidos pelo UOL Notícias.
   A decisão da Câmara será submetida aos senadores na quarta-feira que vem (23). Se não sofrer mudanças, o texto segue para a aprovação da presidente Dilma Rousseff. O líder do PSDB no Senado, o senador Álvaro Dias (PR), já adiantou que o partido repetirá a estratégia adotada na Câmara e vai propor salário mínimo de R$ 600 neste ano. Dessa vez, porém, os tucanos pedirão o apoio do DEM na proposta.
“Vão repetir o erro então?”, disse o cientista político David Fleischer, professor da UnB (Universidade de Brasília). “A vantagem do governo não é imutável, mas foi um recado muito forte. Refletiu também a falta de proposta de uma oposição que aprovou a Lei de Responsabilidade Fiscal no governo Fernando Henrique Cardoso. Falta proposta e falta clareza no que querem o PSDB e o DEM, antecipando o combate para já.”
Qual é o valor de salário mínimo ideal?
   O reajuste aprovado na quarta-feira (16) derrotou duas propostas da oposição e manteve o salário mínimo conforme desejava o Palácio do Planalto: R$ 545 neste ano. A emenda do Democratas, com sugestão de salário de R$ 560, teve apoio até de governistas do PDT e do próprio PT de Dilma. Ainda assim, o governo teve 361 votos para derrotar os adversários – a expectativa inicial era de aprovação do valor com cerca de 300 votos.
   Para Amaury de Souza, da consultoria MCM, a oposição fez “papelão” ao defender um aumento superior a R$ 545. “Fica até ridículo um parlamentar do DEM, que não tem base entre os trabalhadores, fazer o discurso do PT de dez anos atrás. Vai fazer o que agora? Voltar para defender a austeridade, o corte de gastos excessivos? A votação do salário mínimo prejudicou qualquer defesa nesse sentido vinda da oposição.”
  Um dos principais defensores do salário de R$ 600, o candidato derrotado à Presidência José Serra (PSDB) insistiu durante a campanha que o país provavelmente precisaria cortar gastos mal feitos. Seu sucessor no governo paulista, Geraldo Alckmin, evitou se comprometer com a sugestão do colega de partido. “Cada Estado tem sua realidade e o salário mínimo nacional é tarefa do governo federal”, limitou-se a dizer.
Divididos nos bastidores
   O texto aprovado na Câmara dos Deputados deve aumentar em R$ 8,5 bilhões por ano o gasto público, pesando sobre as contas da Previdência. Prefeituras de todo o país, inclusive muitas comandadas por oposicionistas, trabalharam para evitar um reajuste ainda maior. A CNM (Confederação Nacional dos Municípios) indicou que o impacto sobre as cidades poderia ser de R$ 38 milhões em cada R$ 1 de aumento.



   A Confederação afirma que a elevação para R$ 545 já tem um impacto de R$ 1,3 bilhão nas contas das prefeituras em 2011. Caso o valor fosse de R$ 560, os municípios teriam um gasto de quase R$ 1,9 bilhão, diz a entidade. Se o Senado aprovar um mínimo de R$ 600, como defende o PSDB, a despesa extra das prefeituras seria de R$ 3,4 bilhões. Ainda assim, tucanos no Congresso veem espaço para um reajuste maior no salário.
   “Talvez eles não repitam o erro se notarem o que aconteceu com os governistas do PDT, que são ligados ao sindicalismo e que apoiavam a proposta da oposição”, disse Fleischer, da UnB. “O presidente da Força Sindical [deputado Paulo Pereira da Silva] perdeu a força. Dos 26 deputados pedetistas, 16 votaram contra ele. Isso pode fortalecer a CUT ainda mais e duvido ver senadores os senadores do DEM interessados nisso”, disse. “Seria a desmoralização final.”

Fonte: Folha de São Paulo

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011