terça-feira, 2 de agosto de 2011

Incoerência no planejamento urbano de Muriaé!


      Dando uma olhada em nossa região, via satélite, pude observar uma coisa que fiquei impressionado. Na imagem acima, o círculo laranjado mostra o lixão da cidade e o amarelo a captação de água potável a menos de 500m de distância um do outro. Estou até com medo de tomar água agora!
      Se formos observar, realmente o lixão está numa área de escoamento superficial diferente da captação de água, mas será que está numa área de escoamento subterrânea diferente também? Após ver isso, fui no local representado na imagem de satélite e pude observar que o lixão está a pelo menos 100m de altitude  acima da captação, o que favorece muito que as águas vindas do lixão infiltrem no solo e nas rochas, minando assim, possivelmente na represa.
      Como cidadão muriaeense exijo que seja feito um estudo desta hipótese que estou levantando aqui, e caso este já tenha sido realizado, que ele seja mostrado para a população de alguma maneira, bem como periodicamente atualizado, haja visto que ontem não poderia estar infiltrando, mas hoje pode estar, devido a lenta dinâmica das águas subterrâneas, principalmente no nível artesiano. 
     
Cristian Lima

6 comentários:

  1. PARABÉNS PELO TRABALHO.
    Fiquei duplamente feliz: pelo trabalho e por constatar que está surgindo um novo estilo de blog (e de uma verdadeira imprensa) em nossa cidade.
    Com a palavra a Câmara de Vereadores (responsavel pela fiscalização do município-art. 31 da Constituição Federal), o COMUPLAN (corresponsável pelo Plano Diretor de nossa cidade-Lei nº 3.377/06), o CODEMA (responsável pelo meio ambiente-art.191 da LOM), o DEMSUR (responsável pela captação de água e pelo lixo) e a população (que pode estar correndo o risco de estar sendo envenenada em doses homeopáticas-Lei nº 10.257/01).

    ResponderExcluir
  2. Conhecedor da topografia do local como me considero ser, sei que no mesmo elevado montanhoso há pelo menos 2 afloramentos do lençol freático no lado oposto ao do Aterro controlado (LIXÃO), ou seja, o da Barragem. Será que não há uma considerável infiltração de percolado (Chorume) no solo?

    ResponderExcluir
  3. oie Por favor preciso fazer um trabalho tal tema é propostas que visem a melhoria das condiçoes ambientais distinguindo entre a responsabilidade individual e a responsabilidae que demanda a participaçao do coletivo ou poder publico..
    por favor me ajudem obg Belisário

    ResponderExcluir
  4. Acho válida sim a preocupação e também a possível investigação, mas pelo menos visualmente o local onde está a lagoa de decantação de chorume do aterro sanitário é bem abaixo do que aparece na imagem, fica na parte inferior esquerda do círculo laranja, suponho que provavelmente esteja bem abaixo da captação de água, que é feita na barragem da energisa. A distância aproximada é de 1000 metros e mais ou menos 26 metros abaixo do nível de captação.

    ResponderExcluir
  5. Somente hoje vi esta postagem. A questão levantada é muito pertinente e continuará atual pelos próximos 30 anos, tempo que a bomba relógio de efeito contínuo vai liberar seus danos. Ajudo o proprietário rural vizinho do lixão a se defender dos desmandos do poder público e do passivo ambiental deixado pelo péssimo gerenciamento do lixo urbano. Um lago nesta propriedade apareceu há uns dois anos com manchas pretas. O Demsur mandou 'equipe' na região para fazer análise da água. Não tivermos acesso aos resultados. A luta continua em várias frentes. Mesmo que a contaminação na captação não seja possível, o que dizer dos esgotos de Miradouro, Itamuri, Patrinônio dos Carneiros, várias propriedades rurais, todos jogados in natura no Rio Glória?

    ResponderExcluir