domingo, 17 de abril de 2016

O Impeachment de Dilma e a Ordem Mundial

   É interessante olhar a ordem internacional e a sua relação com os processos internos brasileiros: 
  O Brasil, historicamente, sempre esteve na região do imperialismo dos EUA e, curiosamente, nas vezes que tentou se alinhar internacionalmente de maneira diferente sofreu rupturas democráticas. Grande exemplo disso foi 1964, onde está mais que comprovado a participação e incentivo americano para tal intervenção. 
  Atualmente, o Brasil possui um governo que nos últimos treze anos aumentou significativamente a proximidade com a China e veio a criar juntamente com ela, Rússia, Índia e África do Sul um grupo de países emergentes altamente promissor para ajuda mútua: o BRICS. 
   É interessante observar que estes países juntos possuem 3 bilhões de pessoas (43% da população mundial); são estrategicamente complementares em alimentos, recursos naturais, indústrias, tecnologias, capital intelectual, poderio bélico, entre outros. Além disso, em 2014 foi criado em Fortaleza, CE, o Banco do BRICS com a finalidade de financiar o desenvolvimento dos países.


Mas o que isso significa?
Significa que o BRICS constroi independência dos mecanismos supranacionais "controlados" pelos EUA, como o Banco Mundial e o FMI, bem como de suas doutrinas político-econômicas.

Mas o que isso significa?
Significa que surge uma novíssima ordem mundial onde os EUA e seus aliados não serão mais a principal voz influente em boa parte do planeta, mas competirão com o passar do tempo igualitariamente com seus rivais Rússia (histórico) e China (atual). 

Mas o que isso significa?
Significa que os EUA provavelmente vai fazer alguma coisa para não perder sua hegemonia, o que provavelmente pode ser uma desestabilização do BRICS. 

Mas o que isso significa?
Significa que o Brasil é um terreno fértil para a influência histórica americana e, portanto, é o mais vulnerável do grupo nessa lógica. 

Mas o que isso significa?
Significa que com a crise política atual no Brasil, os EUA pode ser um dos grandes beneficiários, pois um possível governo de direita voltaria a se alinhar a eles e não colocaria tanta fé no grupo Russo-Chinês dos emergentes.

Mas o que isso significa?
...

sábado, 16 de abril de 2016

Sou Contra o Impeachment!!!

Sou contra o impeachment sem justificativa para tal! Sou a favor da democracia, da soberania do voto! ... Folha de São Paulo anunciou ontem que o impeachment talvez não passará da câmara por falta dos votos necessários! ...Receio, pelo que tenho visto, que se não tirarem a presidente no empenho do impeachment, tirarão depois pela força, mas tirarão...

Síntese da Dinâmica Política da República Brasielira


sábado, 2 de abril de 2016

Crise política e impeachment - Opinião

Estão estranhas e desencontradas as justificativas e argumentações em torno do processo de impeachment... Me parece existir uma grande vontade política a o impor como alternativa a um desgoverno provocado simplesmente por questões políticas que inviabilizam a governabilidade. Pelo que tenho acompanhado até agora, uma manobra política (comum infelizmente) na qual o congresso foi cúmplice legitimador (aprovou a mudança de meta fiscal rapidamente em 2014), está sendo enquadrada criminalmente de maneira oportuna e forçada... VEJO QUE O MOMENTO É DE MANIFESTAR A OPINIÃO PACIFICA E RESPEITOSAMENTE, MAS DE MANEIRA CLARA, PARA EVITAR O CLIMA CONSTRUÍDO PELA GRANDE MÍDIA DE QUE O "BRASIL" ESTÁ CONTRA O GOVERNO (Nesse sentido um viva às redes sociais).

ALGUNS PONTOS A SE PENSAR:
-Que a democracia da maioria dos votos prevaleça e que em 2018, se for da vontade majoritária, que seja trocado o grupo político do poder.
-Que o governo atual tenha governabilidade para o país começar andar... Caso contrário a vida ficará cada vez mais difícil para todos.
-Que as investigações de corrupção continuem intensamente e desvinculadas de planos políticos para que sejam objetivas e imparciais.
-Que seja realizada efetivamente uma verdadeira reforma no sistema político com participação da população para que manobras, jeitinhos e influências de poderes paralelos e econômicos se tornem inviáveis.
-Para que na reforma política o Brasil esteja de maneira equivalente em qualidade e quantidade representado nos parlamentos do país.
- Que todos os grupos políticos tenham voz, meios e oportunidades iguais para formar a opinião pública com seus argumentos.
- Que a EDUCAÇÃO E A CULTURA sejam realmente enxergadas como únicas maneiras de sair da crise política e econômica, e o mais importante: que se tornem PRIORIDADES.